pt en es

GreenMove

LISBOA-01-0247-FEDER-010955

Desenvolvimento de novos compósitos baseados em matérias-primas de fontes renováveis para aplicação na área dos transportes
Entidade beneficiária: RESIQUÍMICA - RESINAS QUÍMICAS, S.A.
Data de início: 01-04-2016
Data de conclusão: 01-04-2018
Custo total elegível: 548 437,87 EUR
Apoio financeiro da União Europeia: FEDER – 219 375,15 EUR

Visitar Website


Síntese

A indústria dos transportes tem assistido enormes desenvolvimentos tecnológicos que visam o movimento de populações de uma forma rápida, segura e amiga do ambiente. O progresso alcançado tem sido possível em grande medida devido à conceção de novos materiais leves e muito resistentes. Neste sentido, prevê-se que este mercado mundial aumente significativamente ao longo dos próximos anos, motivado por questões demográficas, económicas e ambientais. A utilização de compósitos com fibra de carbono (FC) e polímeros (p. ex. resinas de epóxido (RE)), apesar de diversas limitações tecnológicas, tem permitido alcançar desempenhos mecânicos significativos e ao mesmo tempo apresentar diferentes funcionalidades.

Este projeto visa o desenvolvimento de uma nova tecnologia que contempla a utilização de um poliéster insaturado (UP) de origem natural cuja estrutura química permitirá aumentar significativamente a compatibilização do polímero com a estrutura das FC. Desta forma, será possível oferecer ao mercado um novo material com as seguintes características: elevado componente de fontes renováveis; condições de processamento mais favoráveis face à tecnologia atual que utiliza RE; menor custo; propriedades mecânicas ajustadas através do controlo da estrutura da resina de UP e da utilização de fillers; melhores propriedades visuais ao nível homogeneidade e da cor.

Atualmente não existe qualquer solução no mercado que permita competir com o compósito que se pretende desenvolver, numa ótica da relação qualidade/preço. O novo material permitirá também alargar o mercado deste tipo de compósitos em aplicações onde os compósitos FC/RE apresentam custos proibitivos.

As equipas de investigação deste projeto têm uma história de colaboração prévia de enorme sucesso, que culminou recentemente com o desenvolvimento de novas resinas UP, no âmbito de um projeto QREN, e que estão a ser apresentadas ao mercado.

Projeto co-financiado por: